Dicas

A pintura que protege e deixa o ambiente mais bonito

A pintura tem no mínimo, dois objetivos que são bastante importantes. O primeiro deles é proteger os edifícios, instalações industriais, produtos como automóveis, caminhões, navios e entre muitos outros. A pintura protege todos eles da ação do tempo, das mudanças climáticas e de outros agentes externos, além de contribuir para a higiene do local. Como não se bastasse essa finalidade nobre, o segundo objetivo de uma pintura e embelezar essas instalações e produtos, deixando-os mais agradáveis aos olhos e convívio das pessoas.

Em madeira, por exemplo, a pintura e o envernizamento, além de deixarem mais bonita, resultam na solução para os problemas da absorção da água e umidade, se não fosse o trabalho do pintor, as madeiras apresentariam rachaduras rapidamente, alem de apodrecerem. Em alvenaria, a pintura também protege muitas coisas. Evita o esfarelamento, diminui a absorção da água e da sujeira, não deixa desenvolver mofo e algas, e o acabamento possibilita uma variedades de cores, de textura e de brilhos. Além dessas duas superfícies, a pintura também protege o material ferroso e não ferroso, decorando-os e combatendo a corrosão típica desses materiais.

Mas, para tudo isso, não basta só pintar. E necessário escolher o produto. Por isso, os melhores produtos de tintas participam do progama setorial da qualidade (PQS).


AS TINTAS ATUALMENTE A VALIDAS SÃO:

  • Tinta látex fosca econômica
  • Tinta látex fosca ou acetinado standard
  • Tinta látex fosca ou acetinada premium
  • Massa corrida para interiores
  • Massa corrida para exteriores/interiores
  • Esmalte sintético standard
  • Esmalte sintético premium
  • Tinta a óleo

Componentes básicos da tinta

Para o bom pintor, é necessário saber um pouco sobre o material essencial para o nosso trabalho: a tinta, uma composição química formada pelos seguintes componentes básicos:

RESINAS São elementos importantes na composição da
tinta, pois são elas que forma aquela película protetora. Existem diferentes tipos de resinas e a escolha depende das propriedades da tinta.
PIGMENTOS São alguns tipos de pó que se dissolvem na tinta. Um dos tipos de pigmento (pó) é aquele que dá a cor e cobertura para tinta, e outro tipo é aquele que proporciona facilidade para lixar, dá durabilidade e consistência á tinta.
DILUENTES São líquidos que evaporam depois da aplicação. Possibilitam que a tinta se apresente sempre na forma líquida, permitindo um bom nivelamento/alastramento. Para o látex use-se água; nas tintas a óleo e esmalte sintéticos costuma-se usar aguarrás, entre outros.
ADITIVOS São componentes utilizados em pequenas quantidades nas tintas, são muito importantes para a solução de certos problemas ou na melhoria de certas características das tintas; exemplos: secantes, anti-espumantes etc. esses componentes lembram os temperos que se colocam nas comidas e que tornam algumas mais saborosas que as outras.


Características fundamentais e a qualidade

Você poderá avaliar a qualidade de tintas, vernizes e complementos conhecendo as características técnicas dos produtos.

ESTABILIDADES O produto precisa permanecer inalterado durante seu prazo de validade
RENDIMENTO Após a diluição, os produtos podem apresentar a mesma eficácia na cobertura, porem o melhor rendimento será daquele que atingir a maior área pintada
COBERTURA E a capacidade que o produto possui de esconder a cor da superfície em que for aplicado. A forma de diluição interfere no resultado, por isso, e melhor seguir as instruções dos fabricantes na diluição.
APLICALIDADE Respingo e escorrimentos prejudicam a aparência da pintura. Se a aplicabilidade do produto for boa, isso não vai ocorrer.
RENDIMENTO Após a diluição, os produtos podem apresentar a mesma eficácia na cobertura, porem o melhor rendimento será daquele que atingir a maior área pintada.
NIVELAMENTO/

ALASTRMENTO

Nivelamento ou alastramento é a propriedade que a tinta possui de forma uma película sem marcas de aplicação. A tinta precisa ser espalhada por igual sem dificuldade.
SECAGEM É o processo pelo qual uma tinta em seu estado líquido se converte em uma película sólida após sua aplicação. O ideal e que se seque no menor tempo possível.

 

LAVABILIDADE É a qualidade que a tinta deve ter em resistir á limpeza com os produtos de uso domésticos, sem afetar a integridade da pintura.
DURABILIDADE É a resistência que a pintura deve possuir sob a ação do tempo, aos agentes externos (sol, chuva, maresias etc.), mantendo sua propriedade inicial de proteção e embelazamento.


O que saber para sugerir ou comprar os produtos para meu trabalho?

Essa resposta é de grande importância para você escolher um produto de qualidade. Vejamos quais são os itens em que você presta atenção quando for adquirir produtos para seu trabalho.
  • Faça uma lista dos materiais necessários: tinta, massas, seladores, fundos, lixas, espátulas, pincéis, rolos etc.
  • Escolha sempre os produtos dos fabricantes que participantes do programa setorial da qualidade – tintas imobiliárias.
  • Prefira adquirir produtos dos fabricantes que possuam um bom serviço de atendimento ao consumidor (SAC) e que a assistência técnica seja prestativa e competente antes, durante e após a compra.
  • Leve em consideração o que a marca (ou fabricante) do produto oferece ao usuário.
  • Observe a data de validade na embalagem do produto.
  • Leia as informações nos rótulos das embalagens para não comprar errado e também para obter todas as recomendações, instruções e precauções quanto ao uso do produto.
  • Veja o rendimento (m²/galão/demão) do produto e faça cálculo da quantidade.
  • Compre somente o volume que você utilizará na pintura.
  • Consulte, no balcão, o livro tintas mobiliaras de qualidade – livro de rótulos da ABRAFATI. Fazendo isso, você terá acesso a todas as informações necessárias na hora da compra de tintas imobiliárias, vernizes e de todos os complementos, para garantia de um serviço de qualidade.

Cores de segurança NBR 7195 –
junho de 1997

Dependendo da obra de acabamento, é preciso ficar atento ás cores relativas aos espaços que requeiram indicações de segurança. Por isso, trazemos abaixo uma lista dos símbolos, seus significados e as
respectivas cores que são usados.

Cores para canalização NBR 6493 (outubro de 1994)

 

 

BRANCO
Indica a localização de coletores de lixo, bebedouros, áreas em torno de equipamentos de emergência.
AMARELO
Indica “Cuidado!”. É usado em corrimão, parapeitos, diferenças de nível, faixas de circulação, equipamentos de transporte e movimentação de materiais (empilhadeiras, pontes rolantes, tratores, guindaste etc.), cavaletes, partes salientes, avisos e letreiros.
PRETO
Indica coletores de lixo.
VERMELHO
Indica locais, equipamentos e aparelhos de proteção de combate a incêndio e portas e saídas de emergência.
LARANJA
Indica “Perigo”. Identifica as partes móveis e perigosas de maquinas e equipamentos.
VERDE
Indica “Segurança”. Serve para identificar portas de atendimento de urgência, caixas de primeiros socorros, áreas de vivência de fumantes, de descanso etc.
AZUL
Indica ação obrigatória, como, por exemplo, determinar o uso do EPI (Equipamento de Proteção Individual), ou impedir que se liguem equipamentos (“não acione”).

Formação do revestimento

A tinta se transforma em revestimentos após a aplicação porque alguns fenômenos acontecem. Nos produtos látex (PVA, acrílicas, vinil acrílicas), a evaporação de água faz com que pequenas partículas se juntem formando aquela película seca que adere á superfície. Esse fenômeno e conhecido como coalescência. Outra forma de secagem para a formação de revestimento ocorre em esmaltes sintéticos e tintas a óleo através da reação com o oxigênio do ar. Por fim, há os sistemas epóxi os poliuretanos usados na construção civil em casos especiais. São dois componentes que reagem entre si e promove uma secagem rápida.

O que fazer para ter um acabamento perfeito?

Quando pintamos queremos um serviço perfeito para o nosso cliente no final. Para uma pintura de uma superfície ficar perfeita, costumamos comprá-la com um banco que precisa de três pernas para ficar firme. As “pernas” são: tinta, preparação da superfície e aplicação.

o pintor precisa conhecer, em primeiro lugar, a qualidade da tinta. Procure escolher tintas que você sabe que são feitas com alta tecnologia, que possuem um bom controle da qualidade das matérias –primas e de todas as fases de produção. É lógico que você precisa ver também se a empresa que produz a tinta tem uma boa assistência técnica antes e depois que você comprar a tinta. Por último,repare bem se a tinta possui mesmo a resistência prometida ás condições do ambiente e de exposição.

Depois de presta bem atenção á qualidade da tinta escolhida, e hora de se preocupar com a preparação da superfície. É preciso fazer uma limpeza completa que remova qualquer material estranho que possa contaminá-la. Lembre-se que a superfície precisa esta firme, uniforme, seca, sem poeira, gordura, sabão ou mofo.vamos dar, mais adiante, algumas dicas para a preparação da superfície, mas não se esqueça: pintou dúvida, consulte o fabricante participante do PSQ (PROGAMA SETORIAL DA QUALIDADE).

Para finalizar, faça uma boa aplicação das tintas, com equipamentos adequados, observando bem as condições do tempo, contando com profissionais treinados e com as melhores técnicas de pintura.

Dicas para uma boa preparação da superfície

1 – Para um tratamento geral, e necessário eliminar tudo que está ou mal aderido, lixando, raspando ou escovando. Se houver manchas de gordura ou graxa, use água com detergente, enxágüe e aguarde a secagem. Se for madeira nova, utilize uma estopa molhada com aguarrás ou thinner. Mas, se o caso for de mofo, lava com água sanitária e água potável, da mesma forma como em alvenaria. Outra opção e utilizar produtos específicos para esse tipo de limpeza a venda nas lojas de tintas e que elimina o mofo, bolor e algas. Na repintura, elemine o brilho existente com lixa para madeira de grana 220-150 antes da nova pintura; não se esqueça de eliminar o pó com um pano umedecido com aguarrás.

2- No envernizamento de madeira nova elimine as farpas com lixa de grana 100-150 em superfícies internas, aplique uma demão de seladora para madeira e, após a secagem, lixe com grana de 220-150 e elimine o pó. No envernizamento de madeira nova que esta sujeita ao tempo (superfícies externas), aplique para selar uma demão de verniz adequado para exteriores a 40% no solvente indicado na embalagem. Após a secagem, lixe com lixa 220-180 e elimine o pó. Se a madeira é nova resinosa, lave-a com solvente (thinner), deixe secar e repita a operação. Outra alternativa e usar um verniz selante de extrativos da madeira na primeira demão; há vários a venda no mercado.

3- Agora, se a madeira já estiver envernizada, observe o estado do envernizamento; se estiver bom, basta tirar o brilho com lixa de grana 220-150 e retirar o pó. Se estiver muito ruim, e necessário eliminá-lo, e para isso use um removedor;depois proceda como em madeira nova.

4- Se for aplicar esmalte ou tinta óleo em madeira nova, depois de limpar as farpas com lixa 100-150, aplique uma demão de fundo branco fosco para madeira diluído de maneira indicada pelo fabricante, espere secar e use lixa de grana 150-220. Corrija as imperfeições com massa niveladora para madeira e, finalmente, quando estiver seco,use lixa de grana 220-360 e lime o pó. Se a madeira for nova e resinosa, antes desse procedimento, faça como no caso do envernizamento. Se for repintura, elimine o brilho com lixa de grana 150-220 e faça o mesmo procedimento a parti da correção com a massa niveladora para madeira. No caso de haver muitas repinturas, é preciso retirar a camada de tinta com um removedor adequado.

5- Em madeira acinzentada por exposição ao tempo, sem nenhum tipo de repintura, faça o lixamento rigoroso com lixa de grana 80 até eliminar as farpas. Outra opção é fazer um tratamento químico com produtos disponíveis no mercado que clareiam a madeira eliminando o aspecto acinzentado.

Alvenaria

1- Em reboco novo, aguarde a 100% da secagem .

2- Limpe bem a superfície, eliminando as partes soltas. Faça isso raspando, lixando ou escovando. Nos casos de gordura ou graxa, use água e detergente. Depois, não se esqueça de enxaguar e aguardar a secagem.

3- Se o problema for o mofo, lave a superfície com água sanitária e água potável e espere quatro horas para fazer efeito, só depois faça o enxágüe. Repita a operação até o mofo sumir. E não se esqueça:para cada quantidade de água sanitária,use duas vezes a quantidade de água potável. Outra opção e utilizar produtos específicos para esse tipo de limpeza á venda nas lojas de tintas que eliminam mofo, bolor e algas.

4- Para corrigir imperfeições profundas no reboco, use argamassa feita com 3 partes de areia média e 1 de cimento. Quando as imperfeições forem rasa, utilize massa corrida adequada (massa exterior para superfícies externas e massa para interiores para superfícies internas). Se o reboco estiver fraco, aplique uma demão de fundo preparador para paredes.

5- Dependendo das condições em que se encontra as superfícies de alvenaria é preciso um tratamento adequado da superfície. Em superfícies muito absorventes (porosas), como gesso, fibrocimento, tijolo etc., use fundo preparador de superfícies diluído conforme indicações descritas na embalagem. Em superfícies com baixa aderência e de difícil lixamento, como azulejo, cerâmica esmaltada e porcelanizada, cimento queimado etc., use um fundo promotor de aderência seguindo as instruções do fabricante.

6- Para concreto novo, depois de aguardar no mínimo, 28 dias, aplique o selador acrílico pigmentado se o acabamento for tinta látex acrílica.

7- Se a opção é um acabamento liso, aplique duas demão de massa corrida (segundo a indicação interna/externa) com desempenadeira de aço e espere 5 horas para lixar (grana 180/150). Elimine o pó.

Metais ferrosos

1- Limpe bem a superfícies, eliminando as partes soltas. Faça isso rapando, lixando ou escovando. Use água e detergente se for o caso de gordura ou graxa. Depois, não se esqueça de enxaguar e aguardar a secagem. Em seguida, aplique o fundo Anticorrosivo.

2- Se o problema for mofo, lave a superfície com água sanitária e água potável e espere quatro horas para fazer efeito, só depois faça o enxágüe. Repita essa operação até sumir o mofo. E não se esqueça: para cada quantidade de água sanitária, use duas vezes a quantidade de água potável. Em seguida, aplique o fundo anticorrosivo.

Metais não ferrosos - Alumínio e aço galvanizado

Essas superfícies são complicadas para a pintura, por isso recomendamos fundos. Para superfícies novas, use fundo Fosfatizante ou Fundo especial promotor de aderência. Para superfícies que serão repintadas, quando estiverem em boas condições, basta lixa (grana 360/400) para tirar o brilho e depois limpar o pó. Mas, se houver descascamento, é preciso retirar toda pintura anterior com lixa grana 180-220 e depois aplicar o fundo fosfatizante ou fundo promotor de aderência (há esmaltes atuais que dispensam o uso desse fundo).

- Resolva os problema com bolhas em sua parede

bolhas são causadas por falta de aderência do produto aplicado devido à presença de pó (tinta antiga pulverulenta) sobre a superfície ou ainda por infiltrações de umidade no substrato, causadas por falhas nas impermeabilizações, trincas e vazamentos em tubulações, por exemplo.

A ocorrência de chuvas antes da pintura, principalmente em superfícies novas, pode ocasionar retenção de umidade nestas superfícies, a qual pode levar dias para secar. Da mesma maneira chuvas ocorridas antes da secagem completa da tinta/massa podem provocar bolhas, manchas e outros problemas, pois os produtos ainda não adquiriram sua resistência total.

A aplicação de produtos indicados exclusivamente para áreas internas com a Massa Corrida também causa bolhas e desplacamento quando aplicada em áreas externas.

Quando a causa das bolhas é devido a presença de umidade no substrato essa umidade deve ser totalmente eliminada antes de qualquer procedimento de repintura desses locais.

A correção dos locais com bolhas dever ser realizada da seguinte maneira

* Remover todas as bolhas, partes soltas e mal aderidas com uso de espátula, escova de aço e lixa. Esta remoção também pode ser realizada através do hidrojateamento da superfície com hidrojateadora.

* Aplicar na superfície uma demão de Suvinil Fundo Preparador para Paredes base água. Esse produto penetra na superfície e agrega as partículas tornando a superfície coesa para seqüência da pintura.

* Nivelar a superfície com Suvinil Massa Acrílica (áreas externas ou molháveis) ou Suvinil Massa Corrida (áreas internas e secas) e repintar a superfície com o produto desejado.

Resolva problema com descascamento de sua pintura antiga

O descascamento é causado por falta de aderência do produto aplicado devido a presença de pó (tinta antiga pulverulenta) sobre a superfície, falta de diluição da tinta, uso de fundos ou massas de baixa qualidade:

O descascamento da tinta pode acontecer quando a pintura for executada sobre caiação, sem que se tenha preparado a superfície. A aderência da cal sobre a superfície não é boa, constituindo camada cheia de pó. Portanto, qualquer tinta aplicada sobre caiação está sujeita a descascar-se rapidamente.

Para que isso não ocorra, antes de pintar sobre caiação, elimine as partes soltas ou mal aderidas, raspando ou escovando a superfície. Depois, aplique uma demão de Suvinil Fundo Preparador de Paredes base d’água.

O descascamento da tinta também pode ocorrer quando, na primeira pintura sobre reboco, a primeira demão não foi bem diluída, ou havia excesso de poeira na superfície. Neste caso, lembramos que, quando se desejar aplicar a tinta diretamente sobre o reboco, a primeira demão deve ser bem diluída.

Para corrigir o descascamento recomenda-se raspar ou escovar a superfície até a remoção total das partes soltas ou mal aderidas. Em seguida deve-se aplicar uma demão de Suvinil Fundo Preparador de Paredes base d’água e aplicar o acabamento.

- resolva problemas com eflorescência

São manchas esbranquiçadas que surgem na superfície pintada. Isto acontece quando a tinta foi aplicada sobre o reboco não curado ou em superfícies com presença de umidade.

A secagem do reboco dá-se pela eliminação de água sob a forma de vapor, que arrasta materiais alcalinos solúveis do interior para a superfície pintada, onde se deposita, causando a mancha. A eflorescência pode acontecer, também, em superfícies de cimento-amianto, concreto, tijolo, etc.

Para evitar esse inconveniente, basta que se tenha o cuidado de aguardar a cura de argamassas novas (28 dias) e certificar-se que a superfície esteja completamente seca antes de aplicar a tinta.

Para corrigir a eflorescência, deve-se aguardar a secagem da superfície, eliminar eventuais infiltrações, aplicar uma demão de Suvinil Fundo Preparador de Paredes base d’água e aplicar acabamento.

Lembramos que havendo vazamentos ou infiltrações de água, é preciso resolver o problema.

Resolva problema com enrugamento em pintura com esmalte sintético:

Este problema ocorre quando a camada de tinta se torna muito espessa devido a uma aplicação excessiva de produto, seja em uma demão ou sucessivas demãos sem aguardar o intervalo entre demãos, ou quando a superfície no momento da pintura se encontrava com alta temperatura. O excesso de camada normalmente ocorre nos cantos e junções de equadrias (portas e janelas). A utilização de solventes diferentes dos recomendados nas embalagens dos produtos (gasolina, querosene, thinner, etc) para diluição da tinta também pode ocasionar enrugamento da película de tinta, principalmente nos esmaltes e vernizes.

Para corrigir, recomenda-se

* Remover toda a tinta aplicada através de espátula e/ou escova de aço e removedor apropriado;

* Limpar toda a superfície com Suvinil Aguarrás ou thinner, a fim de eliminar vestígios de removedor;

* Refazer a pintura seguindo as instruções de embalagem do produto utilizado.

- Resolva problema com Manchas escuras provenientes de mofo

São manchas que aparecem sobre a superfície, causadas pela presença de microorganismos (fungos, algas, etc) que se proliferam em condições favoráveis, como em ambientes úmidos, mal ventilados ou mal iluminados. Para corrigir, recomenda-se:

* Lavar toda a área afetada com escova de nylon ou pano e uma solução de água e hipoclorito de sódio (cloro) na proporção de 1:1, esta solução pode ser substituída por água sanitária;

* Deixar a solução agir por aproximadamente 15 minutos;

* Lavar com água a fim de eliminar vestígios de cloro;

* Deixar secar e repintar.

Manchas e retardamento na secagem da madeira

Podem ocorrer quando a repintura foi feita sobre madeira com resíduos de soda cáustica, que foi utilizada na remoção da pintura anterior.

Para prevenir este problema, antes de repintar, deve-se eliminar por completo qualquer resíduo de soda cáustica (ou similar), lavando a superfície com bastante água. Aguarde a secagem e repinte.

Se o problema já existir, remova a pintura e siga as mesmas instruções acima.

Essas manchas também podem ser causadas em pinturas de madeira novas pela migração de ácidos orgânicos ou resinas naturais presentes em certos tipos de madeira ou quando essa madeira não foi devidamente tratada (madeira verde).

Por serem raros e de difícil solução, nestes casos, recomendamos consultar o Serviço de Atendimento ao Consumidor Suvinil.

Manchas causadas por pingos de chuva (garoa, respingo de lavagens, etc)

Essas manchas ocorrem em paredes recém pintadas. Os pingos isolados/garoa, ao molharem a pintura, trazem à superfície os materiais solúveis da tinta, surgindo às manchas. Entretanto, se cair realmente uma chuva e não apenas pingos isolados/garoa, não haverá manchas. Para eliminá-las, basta lavar a superfície com água, sem esfregar, o mais rápido possível.

Este fato é uma característica de tintas foscas e principalmente tintas de tonalidade intensa, em virtude disto, nossas embalagens possuem a seguinte advertência: “Evite pintar em dias chuvosos, com ventos fortes, temperatura abaixo de 10 °C e umidade superior a 90%. Até duas semanas após a pintura, pingos de chuva podem provocar manchas. Se isto ocorrer lave toda a superfície com água imediatamente”.

Observação: A lavagem acima indicada deve ser realizada assim que as referidas manchas foram observadas, caso essa lavagem seja realizada vários dias depois a dificuldade para eliminar esse manchamento tende a aumentar, podendo ser necessária uma nova demão de tinta.

Resolva problemas com trincas

A presença de trincas na superfície propicia a infiltração de umidade para o interior do substrato, acelerando a degradação tanto do substrato como da pintura (manchas, bolhas, descascamentos, etc), assim é fundamental o correto tratamento dessa patologia a fim de garantir uma maior durabilidade da pintura.

A trinca possui uma ação dinâmica, ou seja, sua espessura altera conforme a movimentação da estrutura ou variação de temperatura, portanto o tratamento de trinca necessariamente precisa de um sistema flexível que absorva essas variações e isole o acabamento (pintura), não permitindo o reaparecimento da trinca. Segue abaixo o procedimento:

  1. TRATAMENTO DE TRINCAS DINÂMICAS EM ALVENARIAS

1.1 Abrir a trinca com ferramenta especial (“abretrinca”) ou espátula de aço, em forma de “V”, com 1,0cm de largura por 1,0cm de profundidade.

1.2 Remover toda a pintura e parte superficial do reboco (1 a 2 mm) numa faixa de 10 a 20 cm de largura (conforme largura da tela), sendo que o eixo da trinca deve ficar sempre no centro (vide foto abaixo);

1.3 Remover todo o pó da trinca aberta e das faixas laterais;

1.4 Aplicar na trinca e faixas laterais uma demão de Suvinil Fundo Preparador para Paredes base água diluído com 10% de água limpa. Utilizar uma trincha para aplicação. Aguardar 4 horas para secagem;

1.5 Preencher a trinca aberta com Suvinil Selatrinca, utilizando uma espátula ou aplicador. Aplicar apenas no veio da trinca, preservando-se as faixas laterais. Aguardar intervalo de 48 horas para secagem;

1.6 Aplicar a segunda demão do Suvinil Selatrinca sobre a trinca, da mesma forma que no item anterior. Aguardar 24 horas para secagem;

1.7 Aplicar sobre a trinca, e nas faixas laterais, o Suvinil Suviflex, diluído com 10% de água. Esta aplicação pode ser feita com trincha ou brocha. Aguardar intervalo de 4 horas para secagem;

1.8 Aplicar segunda demão do Suvinil Suviflex da mesma forma do item anterior. Nesta etapa deve ser fixada, intercalada por camadas do Suviflex, sobre toda a faixa em recuperação. Aguardar intervalo de 4 horas para secagem;

1.9 Nivelar a superfície com Suvinil Massa Acrílica ou textura de modo ao acabamento ficar semelhante ao já existente na superfície.

Trincas e má aderência em madeira

Geralmente ocorre quando se utiliza Massa Corrida PVA ou Massa Acrílica para corrigir imperfeições da madeira, principalmente em portas. Como já dissemos, tais imperfeições devem ser corrigidas com Suvinil Massa para Madeira que possui maior “flexibilidade”.

Para correção, remova a Massa Corrida e aplique uma demão de Suvinil Branco Fosco diluído com até 30% de Suvinil Aguarrás. Depois, corrija as imperfeições com Suvinil Massa para Madeira, lixe, elimine o pó e aplique acabamento.

Manifesta-se pelo aparecimento de manchas na superfície pintada (freqüentemente provoca descascamento ou destruição da tinta PVA) ou pelo retardamento indefinido da secagem de tintas à base de resinas alquídicas (esmaltes e tintas a óleo). Neste caso, a superfície apresenta-se sempre pegajosa, podendo até escorrer óleo.

Aplicação de massa corrida

Bom, essa explicação e para quem estar com tempo disponível e não quer contratar um pintor profissional para aplicar massa corrida em sua parede nova!

1º  você deve  lixar bem o reboco, com uma lixa grossa nº60 de ferro para tirar os grão de areia do reboco, e depois limpar bem o local com uma vassoura de pelo.

2º  Aplicação da massa corrida, espalhe a massa corrida até uma altura que você alcance 1 metro e meio mais ou menos de altura e uns 3 metros de comprimento não precisa caprichar, agora vem o segredo, depois de ter espalhado esta quantidade de massa que eu citei a cima você volta do lugar que você começou tirando o excesso de massa que sobrou até onde você terminou, você vai ver que o acabamento fica bem mais bonito e tampando todos os poros do reboco, depois você com uma escada ou um andaime, você faz da mesma forma o restante da parede que sobrou e o teto.

3º Aplicação da segunda mão de massa e bem mais fácil e bem mais rápido, com uma lixa nº100 der uma lixada nas paredes de leve, depois você vai aplicando a massa e retirando o excesso ao mesmo tempo, da mesma forma que na primeira mão de massa corrida.

4º Depois de ter dado a primeira e a segunda mão de massa, espere 24 horas e com uma lixa de nº 220 ou 150 lixe bem lixado e pronto para a pintura.